• cataamazonufpa

Engenheiras desenvolvem filtro ecológico a partir do caroço da manga

Atualizado: 8 de Jan de 2019

A Startup Ver-o-Fruto agrega inovação e empreendedorismo feminino voltada para o aprimoramento da qualidade da água nas comunidades ribeirinhas da Amazônia.

Mulheres, jovens e empreendedoras, as engenheiras Ingrid Teles, 25 anos, Áurea Barbosa, 25 anos e Keyvilla Aguiar de 28 anos, criaram a startup Ver-o-Fruto, localizada no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá (PCT Guamá), no campus da Universidade Federal do Pará em Belém. Elas atuam na produção de carvão ativado, a partir do aproveitamento do caroço da manga, fruto abundantemente encontrado em Belém e região metropolitana, como também em todo o Estado do Pará.


O fruto pode ser utilizado em diversos produtos, como filtros ecológicos e cosméticos. Assim, a startup Ver-o-Fruto utiliza resíduos da agroindústria, como o caroço da manga e desenvolve filtros ecológicos para melhorar a qualidade da água nas comunidades ribeirinhas da região.


A equipe do CataAmazon, Projeto de Incubação para Fortalecimento de Cooperativas e Associações de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis e Reutilizáveis em Municípios do Pará, realizado pelo Programa Interdisciplinar Trópico em Movimento, da Universidade Federal do Pará (UFPA), conversou com uma das sócias da Ver-o-Fruto, a Engenheira de Produção Ingrid Teles sobre a startup e os projetos para este ano de 2019.

Ingrid Teles: criadora da startup Ver-o-Fruto, tem 25 anos é Engenheira de Produção e mestranda em Engenharia Civil pela UFPA.

CataAmazon: como surgiu a ideia de criar a startup Ver-o-Fruto?

Ingrid Teles: A ideia surgiu a partir de um passeio na Ilha do Combú em que eu me deparei com um senhor tomando banho em um dos braços do rio. Naquele momento me veio a pergunta: qual será a qualidade da água das pessoas daqui? Algumas semanas passaram e em uma das minhas idas para a faculdade, percebi a grande quantidade de mangas caídas na avenida Nazaré. Aquilo me causou um incômodo, ver aquela quantidade de resíduos jogado ali, então comecei a conversar com a professora Diana Furtado sobre o incômodo que tive quanto a qualidade da água na Ilha do Combú e a quantidade de manga nos chãos das avenidas da cidade. Dessa conversa nasceu o projeto de um filtro ecológico oriundo do caroço da manga.


CataAmazon: Há quanto tempo vocês desenvolvem esses estudos voltados para a qualidade da água?

Ingrid Teles: Há 3 anos. Realizei essa pesquisa de 2015 a 2016 dentro de uma iniciação científica. Em 2017, ganhei em 3º lugar o Prêmio Mutua/Anprotec de inovação e empreendedorismo. Lá, eu pude reviver a pesquisa para transformar em negócio, que hoje é a Ver-o-fruto.


CataAmazon: Quais os diferenciais desse processo de tratamento?

Ingrid Teles: Trabalhar com materiais acessíveis em nossa região, eficientes e de baixo custo.


CataAmazon: Quais os benefícios sustentáveis e econômicos promovidos pela Ver-o-Fruto para a sociedade?

Ingrid Teles: A Ver-o-Fruto trabalha com ética e respeito ao meio em que vive de forma a reutilizar materiais que em muitos casos, não têm mais utilidade para a população, os resíduos. Dessa forma, a Ver-o-Fruto trabalha com consciência e preocupação objetivando destinar adequadamente esses resíduos para não afetarem o meio ambiente de forma a prejudicar a qualidade sócio-ambiental da população. Nossos produtos são inteiramente ligados as origens e características da Amazônia, desde a sua concepção até a sua formação, pensando sempre no desenvolvimento e bem estar da nossa sociedade.

CataAmazon: Quais os desafios que vocês encontraram durante a elaboração e aplicação do projeto?

Ingrid Teles: No início não sabíamos quais passos dar. Estávamos muito empolgadas, mas um pouco perdidas. Ainda não temos o nosso laboratório, por isso que o projeto ainda não está rodando da forma como gostaríamos. Mas, agora estamos mais orientadas, vendo outras oportunidades, elaborando estratégias para conseguirmos desenvolver a Ver-o-Fruto para em breve estarmos atuando dentro do que foi pensado inicialmente.


CataAmazon: Por que a comunidade ribeirinha? O que mais motivou a Startup em relação a este público social?

Ingrid Teles: O que mais motivou a Startup a trabalhar com eles foi quando percebi que mesmo eles tendo abundância de água, eles não têm acesso a uma água de qualidade. Tive a oportunidade de passar um dia com eles no evento “Conexões”, e é meio inacreditável pensar que essas pessoas que moram a 20 minutos de Belém, rodeadas por rios e ainda sim, não tem água potável para consumo e nem água tratada para as atividades diárias. Meu projeto inicial todo foi pensado para solucionar esse problema. Eles foram os grandes motivadores para melhor estruturar as ideias possibilitando mais tarde o projeto que hoje é a Ver-O-Fruto.


CataAmazon: Vocês já obtiveram resultados dentro da comunidade ribeirinha?

Ingrid Teles: Ainda não, pois como ainda não temos laboratório, estamos buscando fechar parcerias para poder produzir o carvão para a montagem do filtro. Mas, já foi feita análise com a água de lá e os resultados foram bem positivos.


CataAmazon: Qual a importância do projeto para a sociedade?

Ingrid Teles: O projeto tem significativa importância para a sociedade, pois trabalha com os resíduos de frutos da nossa região, diminuindo a quantidade desses resíduos pelas ruas e dando uma destinação adequada a eles através da transformação desses resíduos em produtos com valor agregado, qualidade e grande utilidade para a população, sanando algumas necessidades socioeconômicas e ambientais existentes.


CataAmazon: Quais os projetos da Ver-o-Fruto para 2019?

Ingrid Teles: Estamos em parceira com a Casa de Várzea e acredito que ano que vem a primeira casa será montada, e lá terá um filtro da Ver-o-Fruto. Estamos buscando a possibilidade de entrar em alguma comunidade ribeirinha para entregar um filtro e verificar os resultados positivos para essa comunidade. Além do carvão ativado para filtro, estamos trabalhando com sabonetes esfoliantes para peles mistas e oleosas. As pessoas podem entrar em contato para conhecer mais e adquirir nosso produto acessando a fanpage @verofrutopa e pelo Instagram @verofrutopa. Estamos localizadas no Parque de Ciência e Tecnologia Guamá. E vamos informando as novidades por nossas redes.

As engenheiras Áurea Barbosa e Ingrid Teles durante o trabalho para a coleta de dados e análise para o Ver-o-Fruto.


Os links para as redes sociais da startup Ver-o-Fruto são:

Facebook: https://www.facebook.com/pg/verofrutopa/posts/?ref=page_internal

Instagram: https://www.instagram.com/verofrutopa/


Por Karina Samille Costa


Localização:

Fale Conosco:

(91) 3201-7700

CataAmazon 2016.

Endereço: 

Campus UFPA - Rua Augusto Corrêa, 01 - Casa do Poema,

Bairro Guamá, 66075-110, Belém, Brasil